Seguidores

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Cagarra

Preservação da Cagarra na Deserta Grande

O Arquipélago da Madeira é um dos habitats de nidificação da Cagarra em especial na Reserva Natural das Ilhas Desertas.

A cagarra ou o cagarro também é conhecida como pardela-de-bico-amarelo, sendo o nome científico Calonectris diomedea borealis. - 46.5 kb
A cagarra ou o cagarro também é conhecida como pardela-de-bico-amarelo, sendo o nome científico Calonectris diomedea borealis.
A plumagem desta ave é escura por cima e clara por baixo, possui asas e dorso acastanhos por cima, a cabeça é de um tom cinzento-acastanhado, a cauda é preta por cima, possui ainda um forte bico com marcas amareladas, pernas e patas rosadas.

A cagarra é uma ave marinha que apresenta semelhanças com o albatroz. Esta ave pode atingir os quarenta anos de idade, podendo considerar-se uma ave com uma grande longevidade. Os seus cantos nocturnos são idênticos a um choro humano sendo este muito peculiar.

Os Açores são mundialmente a zona mais importante para a cagarra, que está protegido por leis nacionais e internacionais, mas algumas ilhas do Arquipélago da Madeira são de igual modo importantes para a sua nidificação em especial a Reserva Natural das Ilhas Desertas.

Nos últimos anos o número de aves da espécie da cagarra têm diminuído drasticamente e por consequência criaram-se medidas para que o número de aves parasse de diminuir, evitando assim a extinção da espécie, sendo proibido capturar, deter ou abater legalmente estas aves e destruir ou danificar os seus habitats.

É uma ave fiel pois cada casal mantém-se, na maioria dos casos, juntos para toda a vida. As cagarras para fazerem o ninho preferem cavidades naturais e fendas nas rochas podendo também escavar o seu próprio buraco, que pode atingir alguns metros de profundidade.

Cagarro no mar longe dos caçadores

Fonte de Pesquisas

http://www.youngreporters.org

Imagem google

Nenhum comentário:

Postar um comentário

..


A Fauna e Suas Belezas !


AVES DO MEU TEMPO

smileys falando

.

.
Os poemas são pássaros que chegam não se sabe de onde e pousam no livro que lês.Quando fechas o livro, eles alçam vôo como de um alçapãoEles não têm pouso nem portoalimentam-se um instante em cada par de mãos e partem.E olhas, então, essas tuas mãos vazias,no maravilhado espanto de saberes que o alimentodeles já estava em ti... (Mario Quintana) .

.

.
.

...

...
"A renovação (águia de Fogo) Fenix ...devemos aprender com a águia, a ave que voa mais perto do Céu, que vê longe e também tem mais tempo de vida. Ela pode viver até 70 anos! Mas, para chegar a essa idade, ao chegar aos 40 anos, ela precisa tomar uma decisão muito difícil. Devido às suas unhas estarem muito encurvadas, já não consegue mais agarrar suas presas para se alimentar. E seu bico, longo e pontiagudo, fica curvado, voltando-se contra seu peito. As suas penas crescem e se avolumam demais, de forma que suas asas tornam-se pesadas e, assim, fica difícil para ela voar. Para continuar a viver, ela tem de enfrentar um doloroso processo de renovação, o qual dura 150 dias. Ela se dirige a algum lugar próximo a uma parede – onde não necessite voar. Então, começa a bater o bico contra a pedra, até arrancá-lo. Depois, espera até que lhe cresça um bico novo, para que possa desprender suas unhas, uma por uma. Em seguida, espera que estas cresçam, para que possa arrancar as penas. A águia tem de decidir arrancá-los para que estes sejam renovados. Assim, com o bico, as unhas e asas novas, ela pode voar e sobreviver novamente.”
Related Posts with Thumbnails