Seguidores

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

No bico do Corvo*



Um Pouco de Conhecimento Científico Sobre o Corvo

No Bico do Corvo
No Bico do Corvo
O Corvo é sem dúvida alguma uma bela ave, com sua plumagem negra, a despeito do que a grande maioria pensa sobre seus hábitos alimentares. Embora muitos acreditem ser o corvo uma ave de rapina, há que se saber que quanto à sua classificação científica, podemos assim classificar o corvo:
* Quanto ao Reino: Animália
* Quanto à Filo: Chordata
* Quanto à Classe: Aves
* Quanto à Ordem: Passeriformes
* Quanto à Subordem: Passeri
* Quanto à Família: Corvidae
* Quanto ao Gênero: Corvus
Entretanto, a despeito dessas informações científicas, vale ressaltar que, no que diz respeito às espécies são diversas. Curioso é saber que algumas espécies desse gênero de ave são também conhecidas como “gralha”. Em se tratando da “gralha-preta” (Corvus corone), podemos encontrá-la no continente europeu, no norte da África e também na Ásia, e ainda na Sibéria.
Quanto à alimentação, essa ave alimenta-se essencialmente de cadáveres de outros animais e pequenos animais, incluindo insetos, caracóis, ratos, lagartos, rãs, vermes e alguns outros invertebrados. Mas também se alimentam de frutas, de sementes, e ainda também de sobras de alimentação humana.

Fato: Pode Haver Algo de DEUS pra você no “Bico do Corvo”!

Ave
Ave
Quero agora chamar a atenção do leitor para um curioso fato que aconteceu no passado, e que certamente, pode e acontece de uma maneira bem semelhante em nossos dias.
Na Bíblia Sagrada, mais precisamente no livro de 1 Reis, capítulo 17, encontramos o relato de uma grande seca enviada por DEUS sobre uma determinada nação, de forma que como conseqüência, ocorreu uma grande fome naquela terra. Naquele tempo, vivia naquela região um profeta de nome Elias. Este, durante algum tempo, foi alimentado pelos corvos. Pode parecer incrível, mas lendo os versículos 4 a 6 do capítulo citado, descobrimos duas coisas interessantes:
1. DEUS ordenou aos corvos que alimentassem a Elias.
2. Os corvos levavam para Elias duas refeições diárias: pão e carne pela manhã, e pão e carne pela noite.

No Bico do Corvo

Portanto, a despeito do que “naturalmente” seria o hábito alimentar de tal ave, o Criador pode mudar hábitos e até mesmo a natureza daquilo que ELE mesmo criou. Dessa forma, pôde usar os corvos para levarem até Elias – que era alguém que buscava fazer a vontade de DEUS – uma alimentação saudável, num período em que à sua volta a região padecia fome.
Naquele tempo, no bico do corvo havia alimento saudável para alguém justo e honesto diante de DEUS. Hoje não é diferente! Apesar da imagem negativa que muitos têm do corvo, e talvez até algum preconceito com relação ao nome deste veículo de comunicação – “no bico do corvo”, há que se ter a certeza de que, no bico do corvo pode estar o “alimento” (a notícia, a reportagem, o artigo) que sua alma (sua mente, seu intelecto, sua psique) necessita. Quem sabe você não está numa certa posição ou atitude, simplesmente porque está buscando alimento ou conhecimento em fontes secas? Lembre-se, no bico do corvo pode estar aquilo que você precisa!!

Fonte
http://www.culturamix.com/animais/aves/no-bico-do-corvo

Por Carlos Alberto Bächtold, Foz do Iguaçu, PR.

A Fauna e Suas Belezas !


AVES DO MEU TEMPO

smileys falando

.

.
Os poemas são pássaros que chegam não se sabe de onde e pousam no livro que lês.Quando fechas o livro, eles alçam vôo como de um alçapãoEles não têm pouso nem portoalimentam-se um instante em cada par de mãos e partem.E olhas, então, essas tuas mãos vazias,no maravilhado espanto de saberes que o alimentodeles já estava em ti... (Mario Quintana) .

.

.
.

...

...
"A renovação (águia de Fogo) Fenix ...devemos aprender com a águia, a ave que voa mais perto do Céu, que vê longe e também tem mais tempo de vida. Ela pode viver até 70 anos! Mas, para chegar a essa idade, ao chegar aos 40 anos, ela precisa tomar uma decisão muito difícil. Devido às suas unhas estarem muito encurvadas, já não consegue mais agarrar suas presas para se alimentar. E seu bico, longo e pontiagudo, fica curvado, voltando-se contra seu peito. As suas penas crescem e se avolumam demais, de forma que suas asas tornam-se pesadas e, assim, fica difícil para ela voar. Para continuar a viver, ela tem de enfrentar um doloroso processo de renovação, o qual dura 150 dias. Ela se dirige a algum lugar próximo a uma parede – onde não necessite voar. Então, começa a bater o bico contra a pedra, até arrancá-lo. Depois, espera até que lhe cresça um bico novo, para que possa desprender suas unhas, uma por uma. Em seguida, espera que estas cresçam, para que possa arrancar as penas. A águia tem de decidir arrancá-los para que estes sejam renovados. Assim, com o bico, as unhas e asas novas, ela pode voar e sobreviver novamente.”
Related Posts with Thumbnails