Seguidores

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Feliz 2011





1. Que em 2011 brindemos à vida sem ficar de porre, mas apenas levemente felizes.
2. Que em 2011 a saudade venha e venha forte. Só sente saudade quem viveu intensamente.
3. Que 2011 seja um ano de tolerância.
4. Que em 2011 aquele velho amigo que se pôs distante ponha-se achegado
5. Que 2011 seja o ano da coragem.
6. Que 2011 seja o ano da virada. Seja lá qual for essa virada. Desde que seja para melhor.
7. Que em 2011 aquele velho projeto secreto tenha sua vez. Ele sempre esperou quietinho por ela. Chegou a hora!
8. Que em 2011 as velhas mágoas se aposentem e vão curtir a vida em qualquer outro lugar.
9. Que em 2011, quem se perdeu se ache. Quem se achar se curta. Quem se curtir, que sonhe. Que use como barômetro as pequeninas coisas do dia-a-dia, beije na boca e despertem do sono a Pollyana bela e adormecida que existe em cada um de nós. Cada um escolhe o melhor conto de fadas para sua vida. Acredite!
10.Que em 2011 as pessoas amem mais e sofram menos por causa de outras. Que entendam que há um caminho para felicidade, mesmo que o que as leve para lá não seja aquele trajeto tão cuidadosamente planejado.
11. Que em 2011 novas pessoas especiais surjam em nossas vidas.

Feliz. 2011!
Desejos e Votos de Mary Cely

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Quetzal




Um símbolo de liberdade

O quetzal é um belo pássaro de plumagens verde-esmeralda com reflexos dourados. Sua cauda longa ondula quando ele voa. Foi escolhido na Guatemala como símbolo de liberdade e sua imagem aparece na moeda do país, denominada"quetzal". Pertence a uma família de pássaros chamados trogões, a qual tem um representante no Brasil, o sucuruá. Às vezes, é chamado de "serpente de penas". Ele foi considerado um pássaro sagrado pelas antigas civilizações americanas. Suas penas eram usadas para rituais, embora o pássaro sempre fosse poupado. As penas da cabeça e das asas são semelhantes às da ave-do-paraíso.


O quetzal vive nos ramos mais baixos das árvores das florestas tropicais do México e da Guatemala, em altitudes que vão de 1.000 a 3.000 metros. É uma ave tranqüila, que pode ficar horas pousada à espera de um inseto que passe ou de uma fruta que caia. Seu canto é um assobio ondulante que fica cada vez mais agudo e cessa repentinamente. Juntos, o macho e a fêmea constroem o ninho, geralmente escondido em um oco de árvore. A incubação é feita por turnos. Quando o macho entra no ninho para cumprir seu turno, ele gira e senta-se de maneira que as penas da cauda fiquem fora do oco.



Filo: Chordata

Classe: Aves

Ordem: Trogoniformes

Família: Trogonidae



CARACTERÍSTICAS:

Comprimento: 25 a 35 cm

Bico duro e compacto

Macho e fêmea têm aparência diferentes

Pés de 4 dedos

2 a 4 ovos brancos e redondos de cada vez

Período de incubação: 29 diashttp://www.g6-team.net/

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Posar em fios!



Curiosamente, os pássaros conseguem pousar sobre fios elétricos, encapados ou não, sem levar choque. Aparentemente causa grande espanto quando analisado, pois quando um fio desencapado é tocado libera grande descarga elétrica. Com os pássaros é diferente.

A distância entre as patas dos pássaros é bem curta, não é suficiente para gerar um potencial elétrico entre dois pontos (DDP). O choque, dessa forma, somente acontece quando a corrente elétrica entra por um determinado local e sai por outro, ou seja, fecha o ciclo da eletricidade que é a condução de energia. A eletricidade liberada no pássaro não lhe provocará uma descarga elétrica porque ele não estará encostado em nenhum objeto a não ser o fio, porém, se o pássaro desequilibrar e encostar-se a outro objeto, ele receberá a corrente elétrica.

Se uma pessoa, por descuido ou curiosidade, pegar um fio com as duas mãos para testar a distância geradora de potencial elétrico, com certeza levará um choque, pois a distância de um braço ao outro é o bastante para gerar o DDP.



http://www.g6-team.net/f969/aves-o-que-deve-saber-102775/

Curiosidades Sobre Aves




Por que a minha ave está arrancando as suas próprias penas?

O seu pássaro começou a arrancar as próprias penas e às vezes até grita de dor? O que fazer?

As aves normalmente se orgulham das suas penas, essa agressão pode ter mais de uma causa:

Nutricional
ela está sentindo falta de vitaminas e nutrientes. Por exemplo, na época da muda (troca das penas) elas sentem necessidade de injerir mais proteínas, vitaminas e minerais, carboidratos e até mesmo gorduras, o que consiste em algo mais do que apenas ração e água;

Stress
ela está se sentindo muito só e quer atenção, ou não está se adaptando com o novo pássaro da casa. Pode também estar sentindo falta de espaço na gaiola ou falta de claridade e de plantas.

Preste atenção a estes detalhes, na mudança da rotina do animal, tente melhorar a sua alimentação, dê-lhe mais atenção e consulte o seu veterinário de confiança para que ela seja examinada.

Uma ave bem cuidada e feliz orgulha-se das suas penas e mantém-nas bem cuidadas. Isso é posse responsável!

Fonte do texto
Imagem google
http://www.g6-team.net/f969/aves-o-que-deve-saber-102775/

sábado, 25 de dezembro de 2010

Mensagem de Ano Novo






RECEITA DE ANO NOVO

Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?)

Não precisa
fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumadas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

Carlos Drummond de Andrade

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Coruja-das-Neves


Coruja-das-Neves -
Bubo scandiacus (Caldeira - Faial)


http://ilhapiconatural.blogspot.com/2009/05/avistamentos-de-aves-raras.html

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Pantanal e biodiversidade






Fotos
As fotos tiradas abaixo foram de um belo dia após uma linda chuva do verao Pantaneiro. Num lugar na Fazenda San Francisco chamado de "Baixa Funda" onde tem uma lagoa que esta época do ano fica cheia de aves e vários animais da fauna pantaneira vem beber água ali. Precisa falar mais alguma coisa??? Um bom final de semana a todos! Até a proxima e Boas Aventuras.

Fonte do Texto
http://blogpantanalfazendasanfrancisco.blogspot.com/2009/01/fotos-de-paisagem-e-aves-do-pantanal-do.htm

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Tourquasine



TOURQUASINE
(NEOPHEMA PULCHELLA)


DISTRIBUIÇÃO
Leste da Austrália


DIMENSÕES


Tamanho: 20 cm aproximadamente
Peso: 40 – 45 grs.

DISTINÇÃO ENTRE OS SEXOS


Os machos têm uma marcação vermelha maior nos ombros e a cor é mais intensa.

CRIAÇÃO





Os Tourquasines podem ser criados em gaiolas com tamanho 80 x 40 X 5 0 sempre em casais. As crias não devem ficar alojadas em espaços muito pequeno devido aos machos se agredirem com muita facilidade, são sensíveis ao frio intenso. Por isso devem ter acesso a um abrigo que as proteja. Normalmente, dispensam um aquecimento suplementar.

As Neophemas são aves que se reproduzem com facilidade, seus ninhos devem ter 24 cm de comprimento, 20 cm de altura e 18 cm de largura. A fêmea põe de 3 a 6 ovos, que levam em torno de 19 dias, para eclodirem, podendo fazer até 4 posturas no ano.

ALIMENTAÇÃO


Usamos uma mistura de sementes pequenas ( milho alvo, aveia e alpiste), uma boa farinhada enriquecida com minerais e frutas cristalizadas, girassol à vontade e usamos frutas e verduras que encontra-se com facilidade o ano todo cenoura, maça, couve, etc...

Fonte do texto e Imagens
http://belasaves.blogspot.com/2008/09/tourquasine.html

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

"Gaivota"



Este é um poema que eu adoro:
quando me sinto em baixo.
Aqui fica para lerem esta majestosa obra-prima:

"Se uma gaivota viesse
trazer-me o céu de Lisboa
no desenho que fizesse,
nesse céu onde o olhar
é uma asa que não voa,
esmorece e cai no mar.

Que perfeito coração
no meu peito bateria,
meu amor na tua mão,
nessa mão onde cabia
perfeito o meu coração.

Se um português marinheiro,
dos sete mares andarilho,
fosse quem sabe o primeiro
a contar-me o que inventasse,
se um olhar de novo brilho
no meu olhar se enlaçasse.

Que perfeito coração
no meu peito bateria,
meu amor na tua mão,
nessa mão onde cabia
perfeito o meu coração.

Se ao dizer adeus à vida
as aves todas do céu,
me dessem na despedida
o teu olhar derradeiro,
esse olhar que era só teu,
amor que foste o primeiro.

Que perfeito coração
morreria no meu peito morreria,
meu amor na tua mão,
nessa mão onde perfeito
bateu o meu coração."

Alexandre O'Neill

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Reflexão do Pavão com o Urubu

Reflexão do Pavão com o Urubu



Tem um conto japonês milenar que é mais ou menos assim:
Em uma planície, viviam um Urubu e um Pavão. Certo dia, o Pavão refletiu:
-Sou a ave mais bonita do mundo animal, tenho uma plumagem colorida e exuberante, porém nem voar eu posso, de modo a mostrar minha beleza. Feliz é o Urubu que é livre para voar para onde o vento o levar.



O Urubu, por sua vez, também refletia no alto de uma árvore:
- Que infeliz ave sou eu, a mais feia de todo o reino animal e ainda tenho que voar e ser visto por todos, quem me dera ser belo e vistoso tal qual aquele Pavão.
Foi quando ambas as aves tiveram uma brilhante idéia em comum e se juntaram para discorrer sobre ela: cruzar-se seria ótimo para ambos, gerando um descendente que voasse como o Urubu e tivesse a graciosidade de um Pavão...
Então cruzaram... e daí nasceu o peru:
QUE É FEIO PRA CACETE E NÃO VOA!!!



Moral da história: "Se tá ruim, nem vem com 'gambiarra' que só piora!"

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Reprodução em Cativeiro







Algumas espécies de aves reproduzem-se em cativeiro.
A Natureza com ajuda do homem e seus cuidados dão continuidade à fauna que devido ao clima e ocupação desordenada do meio ambiente que cada dia fica mais degradado.
(Mary Cely)





Eis o resultado o ciclo da vida continua!









Imagens e Pesquisa.

http://vilafauna.blogspot.com/s

sábado, 27 de novembro de 2010

Conhecendo a Fauna



Definições:

Animais de estimação:
todos aqueles animais pertencentes as espécies da fauna silvestre, exótica, doméstica ou domesticada mantidos em cativeiro pelo homem para entretenimento próprio, sem propósito de abate e reprodução.
Exemplos: cachorros, gatos, coelhos, ferrets, hamsters, canários, periquitos, papagaios, entre outros.

Animais domésticos:
todos aqueles animais pertencentes as espécies que originalmente possuíam populações em vida livre e que acompanharam a evolução e o deslocamento da espécie humana pelo planeta e que por ela foram melhorados do ponto de vista genético e zootécnico ao ponto de viverem em estreita dependência ou interação com comunidades ou populações humanas. Os espécimes ou populações silvestres dessas espécies podem ainda permanecer em vida livre.
Exemplos: gatos, cachorros, cavalos, bois, búfalos, porcos, galinhas, patos, marrecos, pombos, perus, avestruzes, codornas-chinesa, perdizes-chucar, canários-belga, periquitos--australiano, abelhas-européia, minhocas, escargots, manons, mandarins, entre outros.
Poderão ser controlados sob a supervisão do IBAMA, caso seja verificado que, quando em vida livre, podem causar danos à fauna silvestre e ao ecossistemas. O controle se dará através das Secretarias e Delegacias vinculados ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento ou Secretarias Estaduais e Municipais de Agricultura e as Gerências de Controle de Zoonoses, vinculadas ao Ministério da Saúde ou Secretarias Estaduais da Saúde.

Animais domesticados: todos aqueles animais pertencentes às espécies silvestres ou exóticos, procedentes da natureza ou de cativeiro e que ainda não foram suficientemente melhorados zootecnicamente ou geneticamente e que vivem sob a dependência do homem para o fornecimento de alimento, água, segurança e abrigo. As populações silvestres que deram origem aos espécimes ainda permanecem em condições estáveis de sobrevivência na natureza.

Animais exóticos:
todos aqueles animais pertencentes às espécies cuja distribuição geográfica não inclui o território brasileiro e que foram nele introduzidas pelo homem, inclusive as espécies domésticas, em estado asselvajado. Também são considerados exóticas as espécies que tenham sido introduzidas fora das fronteiras brasileiras e suas águas juridicionais e que tenham entrado espontaneamente em território brasileiro.
Exemplos: leões, zebras, elefantes, ursos, ferrets, lebres-européia, javalis, crocodilos-do-nilo, najas, pitons, esquilos-da-mongólia, tartatugas-japonesa, tartarugas-mordedora, tartarugas-tigre-d'água, cacatuas, araras-da-patagônia, escorpiões-do-Nilo, entre outros.

Animais silvestres:
todos aqueles animais pertencentes às espécies nativas, migratórias e quaisquer outras, aquáticas ou terrestres, que tenham todo ou parte de seu ciclo de vida ocorrendo dentro dos limites do território brasileiro, ou em águas jurisdicionais brasileiras. Ampliando a abrangência de proteção conferida à fauna silvestre, inclui-se também a proteção os seus ninhos, abrigos e criadouros naturais, considerados propriedade do Estado.Para os fins operacionais, excetuam-se dessa definição os peixes, crustáceos e moluscos susceptíveis a pesca e que são regidos por normas específicas.
Exemplos: micos, morcegos, quatis, onças, tamanduás, ema, papagaios, araras, canários-da-terra, ticos-tico, galos-da-campina, teiús, jibóias, jacarés, jabutis, tartarugas-da-amazônia, abelhas sem ferrão, vespas, borboletas, aranhas, entre outros.

Criação:
o ato de, em condições controladas de cativeiro, favorecer a reprodução de espécimes pertencentes à fauna silvestre e exótica, originários da natureza ou de cativeiro.

Criadouro científico:
pessoa jurídica representada por instituição de ensino e/ou pesquisa, oficial ou oficializada pelo Poder Público, que maneja, cria, recria ou mantém em cativeiro espécimes da fauna silvestre com objetivo de subsidiar pesquisas científicas ou para fins didáticos.

Criadouro comercial:
pessoa física ou jurídica que possui área e instalações capazes de possibilitar a criação e a recria de espécimes da fauna silvestre ou exótica em cativeiro para atender o mercado de espécimes da fauna silvestre ou exótica, seus produtos e objetos.

Criadouro conservacionista:
pessoa física ou jurídica que participe de programas de conservação da fauna recebendo, mantendo e/ou guardando em cativeiro animais silvestres impossibilitados de reintegração à natureza, originários ou não de ações fiscalizatórias dos órgãos competentes e/ou de centros de triagem de animais silvestres e instituições afins.


Fonte: IBAMA
Imagem do google

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Faisão


Dourado


O faisão, é uma ave do gênero galiformes. São originários da Ásia, principalmente da China, Rússia, Nepal, Japão, Himalaia e Tibet. O faisão em quase sua totalidade possui um grande dimorfismo sexual, sendo os machos maiores e de plumagem exuberantes e as fêmeas discretas, são geralmente brigões e polígamos. Existem 49 espécies de faisões, das quais 46 são criadas em cativeiro e mais de 160 variedades.



Temminck


ALIMENTAÇÃO



Insetos, larvas, frutos, brotos e sementes. Vivem em bandos e na época de acasalamento, primavera e verão, formam casais ou grupos familiares.



Resplandecente

As fêmeas se aninham no chão, geralmente em buracos que são cobertos pôr folhas e capins. Os filhotes nascem ágeis e começam a voar aos três meses.






Canário


REPRODUÇÃO.


A época de reprodução no Brasil é de setembro a janeiro onde existe um maior período de luz, sendo o pico da postura no final de outubro chegando a 70%.


Layd


O piso deve ser de areia com uma boa drenagem. As paredes de alvenaria e tela, pelo menos 3 lados de alvenaria e 1 de tela. O teto deve ter uma cobertura de tela, e as telhas de barro para um melhor isolamento térmico.




Eperonier



INCUBAÇÃO ARTIFICIAL E CRIAÇÃO DOS FILHOTES


A temperatura de incubação é de 37,8ºC, na criação o ideal varia da seguinte forma: 1ª semana 35°C, 2ª semana 31°C, 3ª semana 26°C, mantendo assim até a total formação das penas.


Swinhoe



PROBLEMAS COM ESTRESSE



O estresse modifica a velocidade vascular, causando a hipodermia, depressão nervosa e a super atividade das glândulas supra-renais, sendo esse um dos principais motivos de frustração na criação.





Venerado



PRINCIPAIS FATORES QUE CAUSAM ESTRESSE NAS AVES:



- densidade muito elevada no viveiro - problemas alimentares excesso de calor ou luz.


Orelhudo Azul



Fonte do texto e Imagem

http://recantodosabiá.blogspot.com

domingo, 21 de novembro de 2010

Marrecos



Marreco Mandarim

- Aix galericulata


Distribuição:

Sudeste da Rússia, nordeste da China, Japão.



DIMORFISMO SEXUAL


A fêmea diferencia pela cor mais esverdeada, menos brilho azul nas penas da asa e uma menor marca branca em volta do olho; também diferencia pela forma do bico. O macho possui plumagem de eclipse. Os jovens lembram a plumagem das fêmeas, embora o bico destas sejam róseos, na época após o acasalamento, ocorre a 1º muda, onde o macho fica parecido com a fêmea, com a plumagem parda, quando chega a época de acasalamento ocorre a 2º muda retornando a plumagem característica.



Mandarim Branco

HÁBITAT.


Lagos, rios, pântanos rodeados por florestas densas preferindo pequenas ilhas e corpos de água com vegetação emergente e abundante.


ALIMENTAÇÃO


Sementes, nozes, grãos, plantas aquáticas, caracóis, insetos e peixes. Alimenta-se de dia e a noite na superfície da água. Em cativeiro alimenta-se de ração industrializada, colocada a beira do lago em pequena quantidade para que a ave possa estar nadando e alimentando-se ao mesmo tempo.


REPRODUÇÃO


Em seu habitat natural inicia-se em abril. Monogâmico, faz o ninho em buraco de árvores. Maturidade sexual é de 1 ano em cativeiro.

Marreco Carolina

Carolina -

Aix sponsa (sign; vestido de noiva)
O macho,é exuberante em sua plumagem adulta. A fêmea possui a plumagem igual a plumagem transitória do macho. A plumagem juvenil lembra a plumagem da fêmea, porém a barriga é mais listrada e manchada na cor amarelada e marrom.

HABITAT.
Habitat - América do norte a oeste de Cuba. Lagos de água doce, brejos, pântanos, rios calmos sempre rodeados por densa floresta.

ALIMENTAÇÃO.
Sementes, castanhas, plantas aquáticas, plantas forrageiras, pequenos moluscos e adoram pastar em terra firme. Em cativeiro, alimentam-se de ração.




Carolina Branco

REPRODUÇÃO.

A época de reprodução do marreco Carolina no Brasil é de setembro a dezembro, sendo que a maior parte dos casais começa a incubação em novembro.



COMPORTAMENTO.

O Carolina é uma ave muito fácil de ser domesticada. A princípio, é arisco mas se for mantido em contato com movimento tornam-se bastante mansos. Existem relatos que o Carolina torna-se animal de estimação.


Carolina Canela

Disputa o título de marreco mais bonito do mundo, com o marreco Mandarim. Também realiza sua postura em ocos de árvores.

CISNE




Espécies de cisnes

Cygnus

Cisne-negro (Cygnus atratus)
Cisne-branco (Cygnus olor)
Cisne-de-bewick (Cygnus bewickii)
Cisne-de-pescoço-preto (Cygnus melanocorypha)
Cisne-pequeno (Cygnus columbianus)
Cisne-trombeteiro (Cygnus buccinator)
Apororoca (Coscoroba coscoroba)



Cisne branco
(Cygnus olor)

É uma espécie de Cisne nativa da Eurásia. É uma ave não migratória, mas foi introduzida na América e noutras regiões como animal ornamental de jardins.



Cisne-negro

(Cygnus atratus)

É uma ave aquática australiana, oficial do estado da Austrália Ocidental.
Pertence à família Anatidae, a que pertencem os patos, gansos e cisnes.
Podem-se encontrar em todos os estados da Austrália. O animal adulto pode pesar até 9 kg. Ao contrário de muitas outras aves aquáticas, os cisnes negros não têm hábitos migratórios. Passam a sua vida no local onde nasceram.


REPRODUÇÃO;

Nidificam em grandes aterros que constroem no meio de lagos poucos profundos. Os ninhos são utilizados de ano para ano, reparando-se e reconstruindo-se quando necessário. O ninho está tanto ao cuidado do macho quanto ao cuidado da fêmea. As crias estão aptas para nadar, com a sua plumagem definitiva.


Fonte de Pesquisa
http://recantodosabiá.blogspot.com

Vulturina




VULTURINA

Acrylum vulturine


Distribuição:


Sul da Etiópia, sudeste da Somália, partes áridas do norte e leste do Quênia, nordeste da Tânzania। É a maior galinha d'angola, notadamente o maior pescoço, perna, e cauda, pele escura da cabeça e pescoço azul acinzentado com listras que descem brancas e negras। Denso topete cor de amêndoa; a plumagem é principalmente escura com bolas brancas. A parte de baixo da ave possui um rico azul. A fêmea é similar ao macho embora menor. Para melhor identificação da voz do macho, ele pia três vezes e a fêmea duas.

Habitat.

Geralmente encontrada em áreas secas e mais abertas que outras galinhas d'angola especialmente, em áreas semi áridas com muitas Acácia/Comminphora, pastos, arbustos, excepcionalmente alcançam altitudes de 1900 metros.


Alimentação


Sementes e folhas de gramas, raízes, bulbos, insetos, escorpiões, aranhas e pequenos moluscos a maioria encontrada no solo, ocasionalmente escalam arbustos e árvores baixas para alimentar se de frutos. Diferentemente de outras galinhas d'angola aparenta não requerer muita água, mesmo quando a água está disponível na estação da seca.


Acasalamento.


O acasalamento no seu habitat ocorre depois da estação das águas cujo pico de postura é de junho a dezembro. O ninho é um simples buraco ciscado no solo situado em vegetação que o cubra densamente, ou em rochas. Botam de 13 a 15 ovos postos em dias sucessivos. A incubação é de 23 a 25 dias. Os pintainhos são amarelados com listras escuras.



Migração


A vulturina é uma ave sedentária. As vulturinas vivem em bando e para aperfeiçoar sua criação tenha mais de um casal. O espaço é de, 25x40 metros, mas podem viver em viveiros de 4 x 4 metros.

Fonte da pesquisa
http://recantodosabiá.blogspot.com

Grow Coroado

Grow Coroado

Grow Coroado


Origem.

África do sul.

Migração.

Eles migram no inverno, vivem em bandos grandes, sua capacidade de vôo é considerável, tendo relatos de chegarem até 4Km de altura.


Acasalamento.

As cerimônias de dança consiste em caminhar ao redor um ao outro com passos rápidos alternadamente, eles saltando alto no ar. Estas artimanhas freqüentemente são entremeadas com movimentos de alongamento das asas. Os pássaros apanham gravetos ou pedaços de grama nos bicos, lança-os no ar, e apunhala-os com os bicos dando a seus pares. Ambos os sexos fazem estas artimanhas, e os pássaros imaturos dançam freqüentemente como ativamente fazem os adultos. O dançar às vezes uma parte integrante de namoro, os pássaros se viciam nisto ao longo do ano e alguns acreditam que é mais uma expressão de exuberância e vivacidade que uma exibição sexual, muitos fazem seu galanteios para os seres humanos, o que é maravilhoso.

DIETA.

Comem todos os tipos de grãos, frutas pequenas e raízes, em cativeiro o ideal é fornecer uma ração de boa qualidade na forma peletizada. Eles também comem insetos e larvas de inseto, vermes, caracóis, anfíbios e répteis, pássaros e mamíferos pequenos, mas pouco peixe.

REPRODUÇÃO e CRESCIMENTO:

Constroem ninhos bastante vultosos de vegetação em áreas pantanosas, freqüentemente cercado pela água. A postura normal é de 2 ovos. Os ovos são um branco azulado e manchado. Sua incubação é 28 a 35 dias. Ambos os pais compartilham os deveres da construção do ninho da incubação e da criação dos filhotes. O jovem é coberto com penas vermelho amarronzado para cinzento e pode correr ativamente assim que eles nascem. A 10 semanas de idade eles podem voar.São pássaros tradicionalmente duradouros e entre os japoneses eles são símbolos de longevidade.

sábado, 20 de novembro de 2010

Lenda do Biguá



LENDA DO BIGUÁ

Entre os índios guaranis é conhecida uma lenda sobre o Biguá. Conta-se que era um índio muito forte e jovem que vivia feliz com sua bela esposa chamada Yerutí, em sua choça, nas proximidades de um grande rio.
Entretanto, a beleza da jovem despertou a cobiça de Capiberá, outro guerreiro índio, possuidor de uma índole muito má.
Aproveitando-se da ausência de Biguá, que havia saído para pescar, raptou Yerutí e levou-a para bem longe, amarrada em uma canoa.
Ao retornar, não encontrando sua amada esposa, foi avisado que seu desaparecimento era obra de Capiberá. Desesperado, parte em busca de seu inimigo. Perseguido por Biguá, Capiberá foi alcançado e morto. Entretanto, sua frustração foi intensa, quando sua companheira não foi encontrada.
Partiu imediatamente, buscando-a por todos os lugares que conhecia. Gritou em altos brados o nome de Yerutí, às margens do rio, no interior da selva, mas somente o eco devolvia seu angustioso chamado.
Vencido pelo cansaço e pela falta de esperança de encontrar sua esposa com vida, jogou-se nas águas profundas do rio, porque suspeitava que justamente ali teria perecido a bela Yerutí. Buscou-a mergulhando profundamente no rio, na selva, mas só o eco devolvia o seu angustioso chamado. Vencido pelo cansaço, começava acreditar que havia perecido sua amada Yerutí.
Depois de algum tempo, seus irmãos da tribo avistaram uma ave negra que voava insistentemente sobre a choça que haviam morado o feliz casal, para em seguida embrenhar-se na selva e se jogar nas águas do inquieto rio.
Ao consultarem o feiticeiro, esse garantiu que o tal pássaro era Mbiguá que transformado em ave seguia buscando sua doce companheira.
Esta é uma linda lenda que nos fala sobre o amor das aves. Os pássaros, sem dúvida, amam como nós e talvez com mais ternura e devotamento.
Em algumas espécies, os casais nunca se separam, pois grande é a intimidade que os une. Todos que conhecem o comportamento das aves na natureza, sabem que não estou poetizando.
Se um se separa do outro distraidamente e desse torna-se oculto, o que dá falta do companheiro trata de perguntar por onde ela anda. Logo se comunicam e, embora não se vejam, cada qual fica tranqüilo, mas nunca antes de repetir a "pergunta" e receber, infalivelmente a "resposta".
Caso algum desalmado caçador venha abater um dos cônjuges, podemos observar uma cena pungente. O viúvo lança seu apelo lamentoso, chama inquieto o seu par, corre por todos os cantos, não tem mais sossego nem cuidado com sua pessoa, não mais se esconde, como que suplicando ao caçador que o mate também, pois sua vida não tem mais sentido.


Rosane Volpatto
Fonte: www.rosanevolpatto.trd.br
Fonte de minha pesquisa
http://otempovida.blogspot.com/

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

João-de-barro

FURNARIUS RUFUS



É uma ave Passeriforme da família Furnariidae. É conhecido por seu característico ninho de barro em forma de forno(característica compartilhada com muitas espécies dessa família). É a ave símbolo da Argentina, onde é chamado de hornero ("Ave de la Patria" - desde 1928).

Reprodução:

Constrói seu ninho de barro em forma de forno, misturando palha e esterco seco com barro úmido. Instala seu ninho desde sobre árvores até postes de eletricidade. Ele pode ser ocupado por outros pássaros - como o Canário-da-terra-brasileiro- ou até mamíferos e insetos. Não utiliza o mesmo ninho por duas estações seguidas, parecendo realizar um rodízio entre dois a três ninhos, reparando ninhos velhos semi-destruídos. Quando não há mais espaço para a construção de novos ninhos, o pássaro o constrói em cima ou ao lado do velho.

Ninho em Bertioga.

Em locais urbanizados, quando faltam suportes adequados, o joão-de-barro faz seu ninho até no peitoril de janelas. Neste caso ele escolhe o encontro entre a janela e a parede, assim como ele escolhe encontro de galhos quando faz ninho em árvores. As janelas devem estar em locais altos e de difícil acesso. Em locais descampados, com pouca ou nenhuma árvore alta, e como medida de proteção à espécie, recomenda-se erguer postes altos dotados de travessas horizontais. Estes serão usados para sua nidificação.


Fonte: Enciclopédia Livre

Fonte do minha pesquisa

http://alessandra-amato.blogspot.com/


..


A Fauna e Suas Belezas !


AVES DO MEU TEMPO

smileys falando

.

.
Os poemas são pássaros que chegam não se sabe de onde e pousam no livro que lês.Quando fechas o livro, eles alçam vôo como de um alçapãoEles não têm pouso nem portoalimentam-se um instante em cada par de mãos e partem.E olhas, então, essas tuas mãos vazias,no maravilhado espanto de saberes que o alimentodeles já estava em ti... (Mario Quintana) .

.

.
.

...

...
"A renovação (águia de Fogo) Fenix ...devemos aprender com a águia, a ave que voa mais perto do Céu, que vê longe e também tem mais tempo de vida. Ela pode viver até 70 anos! Mas, para chegar a essa idade, ao chegar aos 40 anos, ela precisa tomar uma decisão muito difícil. Devido às suas unhas estarem muito encurvadas, já não consegue mais agarrar suas presas para se alimentar. E seu bico, longo e pontiagudo, fica curvado, voltando-se contra seu peito. As suas penas crescem e se avolumam demais, de forma que suas asas tornam-se pesadas e, assim, fica difícil para ela voar. Para continuar a viver, ela tem de enfrentar um doloroso processo de renovação, o qual dura 150 dias. Ela se dirige a algum lugar próximo a uma parede – onde não necessite voar. Então, começa a bater o bico contra a pedra, até arrancá-lo. Depois, espera até que lhe cresça um bico novo, para que possa desprender suas unhas, uma por uma. Em seguida, espera que estas cresçam, para que possa arrancar as penas. A águia tem de decidir arrancá-los para que estes sejam renovados. Assim, com o bico, as unhas e asas novas, ela pode voar e sobreviver novamente.”
Related Posts with Thumbnails