Seguidores

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Pardal-Alpino : Montifringilla nivalis





Habitat: Encostas rochosas nas montanhas. Residente nos Pirenéus, Alpes, montanhas da Itália e da Ex-Jugoslávia, em grande parte a grandes altitudes durante todo o ano.

Características: Tipo tentilhão/ Tipo pardal, cauda média e chanfrada e de bico curto e atarracado. Só pode confundir-se com a ferreirinha-alpina e com a escrevedeira das neves   Cor: coroa cinzenta; dorso malhado de castanho e preto, mancha branca notória nas asas com primárias pretas; garganta preta; peito e abdómen cinzento-claros; cauda castanha e branca; patas de comprimento médio. No Inverno, bico amarelo e não preto como no Verão, no Inverno não apresenta mento preto. Dimensões: Comprimento: 17-19cm

Comportamento: Voo ondulante ,pousa em campo aberto, saltita, levanta voo e pousa no solo. Alimenta-se de insectos, sementes. Faz o ninho em forma de taça na fenda duma rocha. Põe (Abril-Junho) 4-5 ovos brancos, com manchas castanhas. A incubação(13-14 dias) é feita pelos dois




progenitoreshttp://profs.ccems.pt/palma/Ecossistema/montanha/aves/Textos/tentilh.htm

Nome Vulgar: Quebra - ossos Nome Científico: Gypaetus barbatus



 Nome Vulgar: Quebra - ossos
     Nome Científico:  Gypaetus barbatus



Habitat: Montanha. Raro (100 casais) nos Pirenéus, Sardenha, Grécia e Creta

Características: Tipo ave de rapina. Bico enganchado; patas curtas; cauda comprida e cuneiforme em vez de quadrada; as asas são compridas e pontiagudas. Cor: coroa creme com preto do olho ao bigode; dorso preto; peito dourado; garganta dourada; abdómen dourado; bico castanho claro; patas castanho-claras; cauda preta.Dimensões: Comprimento: 110-115 cm

Comportamento: É solitário. Voo laborioso, eleva-se em alturas, plana. Alimenta-se de ossos que deixam cair para os partir e de carcaças. Faz o ninho em plataforma de ramos em cavernas de penhascos. Tem uma postura



(Janeiro-Junho), um a dois ovos
brancos, manchas castanhas. A fêmea incuba durante 53 dias.

http://profs.ccems.pt/palma/Ecossistema/montanha/aves/Textos/tentilh.htm


A Fauna e Suas Belezas !


AVES DO MEU TEMPO

smileys falando

.

.
Os poemas são pássaros que chegam não se sabe de onde e pousam no livro que lês.Quando fechas o livro, eles alçam vôo como de um alçapãoEles não têm pouso nem portoalimentam-se um instante em cada par de mãos e partem.E olhas, então, essas tuas mãos vazias,no maravilhado espanto de saberes que o alimentodeles já estava em ti... (Mario Quintana) .

.

.
.

...

...
"A renovação (águia de Fogo) Fenix ...devemos aprender com a águia, a ave que voa mais perto do Céu, que vê longe e também tem mais tempo de vida. Ela pode viver até 70 anos! Mas, para chegar a essa idade, ao chegar aos 40 anos, ela precisa tomar uma decisão muito difícil. Devido às suas unhas estarem muito encurvadas, já não consegue mais agarrar suas presas para se alimentar. E seu bico, longo e pontiagudo, fica curvado, voltando-se contra seu peito. As suas penas crescem e se avolumam demais, de forma que suas asas tornam-se pesadas e, assim, fica difícil para ela voar. Para continuar a viver, ela tem de enfrentar um doloroso processo de renovação, o qual dura 150 dias. Ela se dirige a algum lugar próximo a uma parede – onde não necessite voar. Então, começa a bater o bico contra a pedra, até arrancá-lo. Depois, espera até que lhe cresça um bico novo, para que possa desprender suas unhas, uma por uma. Em seguida, espera que estas cresçam, para que possa arrancar as penas. A águia tem de decidir arrancá-los para que estes sejam renovados. Assim, com o bico, as unhas e asas novas, ela pode voar e sobreviver novamente.”
Related Posts with Thumbnails