Seguidores

terça-feira, 4 de outubro de 2011

A Jandaia-sol ou Jandaia-amarela






A Jandaia-sol ou Jandaia-amarela (Aratinga solstitialis) é um dos mais belos psitacídeos encontrados no Brasil e está ameaçada de extinção. Possuem a plumagem das asas mais verde quando novas, com tons amarelos e de um alaranjado intenso, com penas verde-azuladas na cauda e nas asas e alaranjados distribuídos pela cabeça, peito e barriga. Distribuem-se pelo Norte de Roraima (Bonfim), Guiana Inglesa e Venezuela. Elas foram praticamente dizimadas na Guiana Inglesa, capturadas para alimentar o comércio de aves de cativeiro e os traficantes frequentemente invadem o território brasileiro em busca de novos indivíduos.


Em Boa Vista, já há alguns anos, curiosamente começam a aparecer populações dessa espécie cuja origem é atribuída à soltura de aves apreendidas de traficantes. Esses pequenos bandos vivem nos bairros periféricos de classe média da cidade e são frequentemente avistados fazendo ninho em postes de madeira.
Muito se discute a respeito dessas populações urbanas uma vez que se trata de aves que não receberam nenhum tratamento pra se submeterem a um habitat que é bem diferente de sua região original quanto à presença de alimentos, vegetação, riscos de infecção, etc. O fato é que estão presentes em nossa capital e parece que bem adaptadas. Trata-se de uma população muito susceptível à captura pois o acesso aos ninhos é relativamente fácil e a sua beleza e raridade a colocam como uma espécie muito valorizada no mercado ilegal. É preciso que se tomem medidas públicas urgentemente de conservação dessa espécie como o monitoramento dos bandos e proteção das áreas de ninhos antes que o tráfico aniquile mais essa população.


Fonte de Texto e Imagens
http://verasaves.blogspot.com/
Marcelo Camacho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

..


A Fauna e Suas Belezas !


AVES DO MEU TEMPO

smileys falando

.

.
Os poemas são pássaros que chegam não se sabe de onde e pousam no livro que lês.Quando fechas o livro, eles alçam vôo como de um alçapãoEles não têm pouso nem portoalimentam-se um instante em cada par de mãos e partem.E olhas, então, essas tuas mãos vazias,no maravilhado espanto de saberes que o alimentodeles já estava em ti... (Mario Quintana) .

.

.
.

...

...
"A renovação (águia de Fogo) Fenix ...devemos aprender com a águia, a ave que voa mais perto do Céu, que vê longe e também tem mais tempo de vida. Ela pode viver até 70 anos! Mas, para chegar a essa idade, ao chegar aos 40 anos, ela precisa tomar uma decisão muito difícil. Devido às suas unhas estarem muito encurvadas, já não consegue mais agarrar suas presas para se alimentar. E seu bico, longo e pontiagudo, fica curvado, voltando-se contra seu peito. As suas penas crescem e se avolumam demais, de forma que suas asas tornam-se pesadas e, assim, fica difícil para ela voar. Para continuar a viver, ela tem de enfrentar um doloroso processo de renovação, o qual dura 150 dias. Ela se dirige a algum lugar próximo a uma parede – onde não necessite voar. Então, começa a bater o bico contra a pedra, até arrancá-lo. Depois, espera até que lhe cresça um bico novo, para que possa desprender suas unhas, uma por uma. Em seguida, espera que estas cresçam, para que possa arrancar as penas. A águia tem de decidir arrancá-los para que estes sejam renovados. Assim, com o bico, as unhas e asas novas, ela pode voar e sobreviver novamente.”
Related Posts with Thumbnails